" Só somos porque estamos sendo. Estar sendo é a condição, entre nós, para ser." Paulo Freire

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

INGLATERRA


Lembrai-vos dos Sex Pistols

Professor-titular de História Moderna e Contemporânea da UFF faz considerações sobre as recentes revoltas na Grã-Bretanha

Luiz Carlos Soares
     

Muito tem se falado e discutido sobre as recentes revoltas que abalaram as principais cidades da Grã-Bretanha no início deste mês de agosto. Especialistas são convocados para dar a sua opinião acerca dos fatores que “causaram” as riots (como os britânicos designam as revoltas em geral) e as medidas que poderão ser tomadas para evitá-las futuramente.
A grande maioria dos entrevistados tende a opinar de acordo com a voz dominante da imprensa e da política britânicas, no sentido de vê-las como movimento de “arruaceiros” e “criminosos” contra a “tranquilidade pública”, com seus ataques a determinados prédios e estabelecimentos comerciais. Já as vozes discordantes da cantilena oficial, como o jornalista e escritor Tariq Ali, indicam em geral que, na raiz dos problemas, está a política de desmantelamento do estado de bem-estar social executada por governos neoliberais, desde o início dos anos 1980, com a conservadora Margareth Thatcher, passando pelo “Novo Trabalhismo” de Tony Blair e Gordon Brown, até chegar ao conservador David Cameron, que aboliram uma série de benefícios sociais, criaram uma situação de desemprego elevado (sobretudo entre os jovens) e atacaram os sistemas públicos de educação e saúde, levando-os a uma significativa perda de qualidade e capacidade de atendimento efetivo à população.
Sem querer negar os elementos apontados pelas vozes críticas, gostaria de trazer um outro elemento para este debate, também apontado pelo jovem escritor britânico Owen Jones, autor do livro “Chavs: the demonization of the working class” (“Chavs: a demonização da classe trabalhadora”), que focaliza a tendência, cada vez mais crescente, de seus compatriotas, de certos setores da mídia e da intelectualidade conservadora, de transformar a classe trabalhadora em objeto de medo (criminalizando seus comportamentos sociais) e escárnio (ridicularizando seus hábitos de consumo e estilo de vida). Além disso, Owen Jones aponta que esta tendência está claramente enraizada na cultura política dominante na Grã-Bretanha, que, por sua vez, reflete uma rígida estrutura de classes, onde a ascensão dos segmentos mais pobres é bastante limitada.
É sobre esta linha de raciocínio que gostaria de me debruçar.



Retirado do site:www.revistadehistoria.com.br

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

" O Passo "

Textos e Ideias do Curso TCIs


O PASSO

Atualmente a educação vem buscando alternativas para propor conhecimento aos alunos. Os profissionais da educação devem desenvolver métodos alternativos ou específicos individuais ou coletivos para que possam criar experiências produtivas na aprendizagem do educando. Acreditamos que o professor deve aprimorar e criar, criar e criar, utilizando de varias ferramentas desde a utilização do quadro até os instrumentos digitais. Segundo o método O PASSO vem de encontro com algumas dificuldades dos alunos e professores para compreender as partituras, tempos e contratempos da música. Com um pouco de criatividade e estudo foi desenvolvido um método alternativo para a compreensão de determinados temas. Assim também os educadores devem sentir e procurar métodos, alternativas e conhecimentos para desenvolver aprendizagem com os alunos para que estes adquiram conhecimento.
Assim, acredito que atualmente ser professor “ não é pra quem quer, e sim para quem pode “, pois o ensino atualmente é algo cada vez mais complexo e de extrema criatividade, sempre preocupado com: Como é que vou ensinar o educando este conteúdo? 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

" O VENENO ESTA EM NOSSA MESA "

O brasileiro consome 5,2 litros de agrotóxicos por ano!!!! Veja na reportagem com Silvio Tendler



Silvio Tendler: o veneno está na mesa do brasileiro


Silvio Tendler é um especialista em documentar a história brasileira. Já o fez a partir de João Goulart, Juscelino Kubitschek,Carlos Marighela, Milton Santos, Glauber Rocha e outros nomes importantes. Em seu último documentário, Silvio não define nenhum personagem em particular, mas dá o alerta para uma grave questão que atualmente afeta a vida e a saúde dos brasileiros: o envenenamento a partir dos alimentos.

Em O veneno está na mesa, lançado no último dia (25) no Rio de Janeiro, o documentarista mostra que o Brasil está envenenando diariamente sua população a partir do uso abusivo de agrotóxicos nos alimentos. Em um ranking para se envergonhar, o brasileiro é o que mais consome agrotóxico em todo o mundo, sendo 5,2 litros a cada ano por habitante. As consequências, como mostra o documentário, são desastrosas.Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, Silvio Tendler diz que o problema está no modelo de desenvolvimento brasileiro. E seu filme, que também é um produto da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela Vida, capitaneada por uma dezena de movimentos sociais, nos leva a uma reflexão sobre os rumos desse modelo. Confira.


Retirado do site:
http://www.mst.org.br/O-brasileiro-come-veneno

 Veja o vídeo:
http://www.viomundo.com.br/denuncias/o-filme-de-silvio-tendler-sobre-os-agrotoxicos.html
 

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

SÓ COM GREVE MESMO?!!

Tartaruga na educação

     A nomeação do prometido Grupo de Trabalho para estudar as mudanças na educação e a descompressão da tabela salarial dos professores está tramitando no governo no dorso de uma tartaruga.   De acordo com informações oficiais, no dia 2 de agosto, a Secretaria da Educação recebeu o ofício do Sinte com a indicação dos quatro professores que vão representar o Sindicato.   Mas somente ontem, dia 11 de agosto, a Secretaria remeteu o documento ao governador Raimundo Colombo, que o despachou para o secretário da Administração, Miltom Martini.   No Centro Administrativo não se sabe quando haverá a assinatura do ato constituindo a prometida comissão especial.  Passaram-se já 30 dias do fim da greve. O prazo para conclusão dos trabalhos, fixado pelo próprio governo, era de 120 dias.  A partir de quando, também ninguém sabe.
RETIRADO DO BLOG MOACIR PEREIRA.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

ATIVIDADE DO EJA II

PESQUISAR NO SITE:

www.infoescola.com/biomas/restinga/  

SOBRE: RESTINGA, MANGUEZAL 

IDENTIFICAR: Animais e vegetais que vivem nestes ambientes.


Após pesquisa criar uma apresentação de um animal e um vegetal de cada ambiente.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

ATIVIDADE DO EJA

No http://www.ra-bugio.org.br identifique o nome de 20 animais: mamíferos, anfíbios, répteis, aves e invertebrados. Copiar algumas imagens.
Após atividade pesquisar sobre a mata atlântica, informações básicas como: Região predominante no Brasil, importância da mata e intervenções.
Na sequência comentar sobre o instituto ra-bugio. ( O que é? Qual seu objetivo ? Qual a sua importância?

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Visita ao Assentamento CONQUISTA DO LITORAL

No dia 20/07/11, com o grupo semente do projeto: Consumo Consciente,da E.M.Eugênio Klug, vencedor do Premio Embraco 2011, visitamos o Assentamento Conquista do Litoral em Garuva, uma experiência impar pois observamos que com organização, responsabilidade e vontade política podemos realizar a reforma agrária no Brasil. Bem como, desenvolver projetos de sustentabilidade na agricultura que produzam produtos semi orgânicos e orgânicos na agricultura familiar, contribuindo para o fim do êxodo rural.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

CURSO - IMPRESSÕES

      No primeiro momento o professor passou slides demonstrando a formação do Estado aos alunos conforme o esquema com explicação expositiva e comentário, onde observamos que os alunos entenderam o esquema apresentado. Na aula seguinte, a partir de um video confeccionado pelo professor no Windows Movie Maker com imagens e palavras sobre as civilizações, os alunos observaram e identificaram as civilizações relatadas. Assim o educador foi comentando cada civilização as palavras  e as imagens do video, ao fim, cada aluno descreveu as civilizações citadas com grande facilidade.




CEGUEIRA CULTURAL

A tragédia que abalou o mundo na Noruega nos faz pensar e refletir nos discursos políticos e atos xenofóbicos no mundo, principalmente na Europa que se diz um continente avançado e contemporâneo. Estes atos nos remetem ao passado, no período entre guerras  mundiais onde as direitas apoiam movimentos autoritários e antidemocráticos como nazismo e fascismo. Observamos assim, que atualmente por conta do tempo, podemos caminhar para um mesmo destino perigoso do passado. Sabemos que o ser humano em um todo é multicultural, pois nada é próprio, nada é único, todos somos frutos da diversidade, não existe ser humano puro, somos a soma de toda a diversidade cultural do mundo e da história. Todo o discurso fanático e extremo leva a cegueira cultural e a partir desta, grupos econômicos se apóiam para manipular e defender seus próprios interesses no mundo capitalista em que vivemos.